Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dietas hiperproteícas, dietas perigosas!

publicado por emagrecercomsaude, em 22.08.14

 

 

 

Cuidado com as dietas hiperproteícas e que eliminam totalmente algum nutriente. É tão prejudicial a falta de um nutriente como o excesso dele.


Todos os nutrientes são essenciais para o nosso organismo e boa saúde, senão não existiam!
A falta deles causa desnutrição e doenças, mas o excesso também pode causar doenças e problemas graves.


As pessoas engordam porque comem alimentos processados, com açucar, fast food, gorduras más, hidratos de carbobo simples (açucares), bebem pouca água, não se exercitam e às vezes quando o fazem ou é insuficiente ou de forma errada. Não têm regras e têm maus hábitos. Portanto para emagrecer só têm de fazer o oposto disto! Mas porquê ter de fazer dietas estapafúrdias que fazem mal à saúde? Pense bem: faz algum sentido?!?


Há outros fatores que também podem fazer aumentar o peso, como medicamentos, doenças da tiroide, do sistema nervoso, entre outras, o fator genético e hereditário, assim como por questões hormonais etc, no entanto, saliento que as razões referidas anteriormente são as principais causadoras e revertendo essa situação pode-se mesmo minimizar estes fatores mesmo aqueles que não controlamos como a genética.

Muitas doenças curam-se ou minimizam-se os sintomas com a alimentação e certos alimentos específicos. Por exemplo o hipotiroidismo que tem como um dos sintomas o aumento de peso, é resultado de uma dieta desiquilibrada e falta de nutrientes nomeadamente o iodo e o selénio. Pelo que uma alimentação equilibrada e a ingestão de iodo através das algas por exemplo, pode ajudar imenso.


Isto para mostrar que a alimentação é o mais importante e como todos os nutrientes são importantes. Agora há que saber distinguir as gorduras boas das más e os hidratos de carbono bons dos maus, ou seja, os simples dos complexos.

Os hidratos e as gorduras não devem por isso serem eliminados do nosso cardapio, é a eles que o nosso corpo vai buscar a tão necessária energia, para além de outras funções extremamante importantes como manter o metabolismo acelerado. É preciso é consumir os bons da fita e nas alturas certas.


A exclusão de carboidratos pode provocar tonturas, cãibras, fraqueza e desmaios. São produzidos também corpos cetónicos prejudiciais e toxicos para as células.

Além disso quando se emagrece é por perda de água e não de gordura. A pessoa pensa que emagrece, mas o que ela perde é massa magra/muscular e depois fica difícil manter o peso. Estudos comprovam que as pessoas que fazem estas dietas acabam por recuperar tudo novamente.

Já o excesso de proteína oferece gorduras saturadas contribuindo para o aumento do colesterol mau e favorecendo o entupimento dos vasos sanguineos levando a enfarte e AVC. O excesso de proteína sobrecarrega os rins e pode mesmo levar a insuficiência renal com o passar do tempo, assim como o excesso de ácido úrico no sangue que pode causar deformação das articulações.

As dietas de grande aporte proteíco geralmente gerem desconforto gástrico devido ao demorado processo de digestão das proteínas e gorduras e por isso ficam no estômago  mais tempo. Também é comum a obstipação por falta de fibras. Estas dietas podem também provocar mau humor.

Há algum tempo esteve na moda a dieta de Atkins baseada nestes princípios, mas logo passou de moda por todos estes malefícios e as pessoas perderam o interesse. Assim a pergunta ficou no ar "que nova dieta da moda virá a seguir?" até que apareceu a Dukan...que só a começar pelo fato de eliminar a melhor gordura que temos que é o azeite, mas já permitir as carnes ricas em gorduras péssimas para a saúde, só por aí é ridículo. Durante estas dietas nem sequer se deve praticar exercicio físico, mas esta dieta recomenda caminhadas!

Páre para pensar e deixe de se subjugar a estas dietas perigosas e que não respeitam a sua individualidade, os seus gostos, a sua saúde e a sua liberdade. Elas só entram na moda por questões de marketing.

Seja livre, respeite-se, tenha saúde e seja feliz!


Ver aqui artigo da Deco (Associação portuguesa para defesa do consumidor) sobre a dieta dukan.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Afinal porque tenho o metabolismo lento?

publicado por emagrecercomsaude, em 18.07.14

 

 

 

Muitas pessoas comentam que têm um metabolismo muito lento e por isso não conseguem emagrecer. Por mais que façam variados tipos de dieta da moda, não conseguem emagrecer, pois não conhecem o funcionamento do metabolismo humano.

 

O que a maioria das pessoas desconhece é que podemos acelerar o metabolismo, o que é fundamental para perder a gordura acumulada. Antes de entendermos as maneiras de acelerar o metabolismo, aprenda alguns princípios básicos.

 

O que é Metabolismo?

 

 

Existem muitas abordagens científicas para explicar isso. Porém a melhor abordagem é aquela acessível ao maior número de pessoas possível, que podem entender essa definição a partir de uma linguagem clara e objectiva: metabolismo é a taxa com que o seu corpo queima calorias para se manter vivo.

 

O seu corpo queima calorias 24hs por dia, todos os dias, não importando se você faz exercício ou não. Lembre-se que o seu corpo precisa de energia o tempo todo, mesmo quando você está a dormir e é por isso que deixar de fazer refeições é com certeza a pior coisa que você pode fazer se o seu objectivo é perder peso através da queima de gorduras.

 

O que afecta o metabolismo?

 

Muitas pessoas acham que factores como níveis de actividade física, tiróide e idade têm grande impacto no seu metabolismo. Esses factores realmente afectam o seu metabolismo, mas não tanto assim.

 

O que mais afecta o metabolismo é o tecido muscular. Quanto mais músculos você tiver, mais calorias você vai queimar, independente do seu nível de actividade, da sua idade, etc. Os músculos são tecidos vivos e estão lá para trabalhar para você, queimando calorias 24hs por dia - todos os dias.

 

Aqui estão 8 factores que afectam o metabolismo, em ordem de importância:

 

(1) Tecido muscular: São fundamentais por causa de todos os factores citados acima.

 

(2) Frequência das refeições: Quanto mais tempo você dá entre as refeições, mais o seu metabolismo diminui para conservar energia.

 

(3) Nível de actividade: É importante, mas não faz nenhuma diferença se você não compatibiliza a sua alimentação com o seu gasto calórico.

 

(4) Escolha dos alimentos: Por exemplo, as dietas baixas demais em gordura tendem a resultar em baixa produção hormonal o que leva à diminuição do metabolismo. Tem é de escolher as gorduras boas.

 

(5) Hidratação: Mais de 70% das funções do corpo acontecem na presença de água. A falta de água faz com que o seu metabolismo abrande bastante.

 

(6) Genética: Algumas pessoas têm um metabolismo naturalmente mais acelerado do que outras. Você não pode mudar a genética, mas pode estimular a aceleração do seu metabolismo.

 

(7) Produção e função Das hormonas: É muito pouco provável que você tenha uma tiróide "preguiçosa". Antes de culpá-la, primeiro estabilize o nível de açúcar no sangue (taxa de glicose) e comece progressivamente a praticar exercícios 2-3 vezes por semana.

 

(8) Stress: O stress também pode diminuir o seu metabolismo por colocar o seu organismo em estado de tensão. Além disso, muitas pessoas tendem a comer mais quando estão stressadas.

 

Porque o metabolismo diminui?

 

Pesquisas indicam que o metabolismo não diminui significativamente de acordo com a idade e sim de acordo com a falta de músculos. E você não perde músculos de uma hora para outra só por ficar mais velho, e sim por causa da falta de uma actividade física que cause um stress positivo nos músculos fazendo com que eles se mantenham ou se desenvolvam, como a musculação.

 

Essas são as 2 maiores causas que fazem com que o seu metabolismo diminua:

Perda de tecido muscular.

Diminuição do nível de actividade à medida que se fica mais velho.

 

Você pode perder tecido muscular devido à falta de actividade física específica para esse fim (musculação) ou por não fazer uma alimentação adequada e disciplinada. Quando você salta refeições ficando muito tempo sem comer, o seu corpo vai obter a energia que precisa consumindo o seu próprio tecido muscular (catabolismo).

 

Outra situação que abranda imenso o metabolismo é o facto de fazer-se inúmeras dietas, experimentar imensos produtos emagrecedores, e passar pelo efeito sanfona ou iô-iô, tudo isso cansa o metabolismo, tornando-se cada vez mais difícil emagrecer.

 

 

 

COMO ACELARAR O METABOLISMO

Para perder gordura

 

 

 

 

  • Escolha os melhores alimentos

 

Os carboidratos são essenciais para um metabolismo rápido. Fornecem combustível aos músculos, ao sistema nervoso e às células do sangue. Sem energia, você fica lenta e a inactividade faz você ganhar peso.  Os carboidratos ou hidratos de carbono são classificados da seguinte forma: os que deve comer sempre, e os que deve evitar:

• Sempre: aqueles de baixo índice glicêmico (que mantêm estáveis os níveis de insulina, evitando o sobe-e-desce da glicose no sangue e afastando a fome por mais tempo). Grãos e cereais integrais, legumes, frutas e verduras -- todos ricos em fibras e pobres em gorduras -- levam mais tempo para ser digeridos e por isso aceleram o metabolismo.

• A evitar (raramente): eles estão em toda parte. No arroz branco, pão branco, massas brancas, doces, açúcar, biscoitos e bolos. Ao serem refinados, as fibras são retiradas e dão lugar a açúcar e aditivos, que retardam o metabolismo. Esse grupo, de alto valor glicêmico, é digerido rapidamente. A rapidez engana o cérebro, que sinaliza mais fome em pouquíssimo tempo.

 

As proteínas ajudam a formar músculos, que consomem calorias mais rapidamente. Além disso, diminuem a velocidade de digestão dos carboidratos. Opte sempre pelas proteínas magras: pato, peixe, frango, aves, feijão, ovo, soja e derivados.

 

As gorduras são fundamentais para o metabolismo. Retardam a digestão do carboidrato e permitem que a energia seja gasta de forma mais homogénea. Vamos classificá-las em amigas e inimigas:

 

• Amigas: ajudam a limpar as artérias. Fontes: castanha-do-pará, de caju, amêndoa, amendoim, nozes, pinhão, pistache, azeite de oliva extravirgem, abacate, semente de abóbora, gergelim (sésamo) e girassol.

• Inimigas: entopem as artérias e devem ser evitadas. Fontes: manteiga, chantilly, bacon, linguiça, margarina e óleos e gordura vegetal hidrogenada.

 

  • Outras dicas para manter seu metabolismo em alta

 

 

• A água ajuda o sangue a transportar melhor o oxigénio para os músculos. Na falta dela, você fica lenta, menos activa e queima menos calorias.

 

• Tomar um limão espremido na água colabora para manter o metabolismo acelerado.

 

• Não pule refeições nem fique sem comer por mais de quatro horas.

 

• Se não consegue ficar sem doce, deixe-o para a sobremesa. A comida segura o índice glicêmico do açúcar, evitando picos de insulina no organismo e a consequente sensação de fome.

 

• Dispense cereais à base de flocos de milho e arroz refinados, tipo crispis e corn flakes, que têm índice glicêmico alto. Prefira os de grãos integrais e aveia, ricos em fibras.

 

• A gordura da pipoca do cinema pode atolar seu metabolismo.

 

• Comece a sua refeição pelos legumes e verduras, que têm poucas calorias, muitos nutrientes e fibras. Eles reduzem a fome e você acaba comendo menos dos outros alimentos.

 

• Se seu almoço for apenas uma salada de alface e outras verduras, seu metabolismo tem tudo para ficar lento. Esses alimentos de baixíssimas calorias não fornecem energia significativa: dentro de uma hora ou duas, você estará com fome. Junte à sua salada uma fonte de carboidrato, de preferência integral, uma proteína magra e uma gordura “amiga”.

 

• Frutas secas têm carboidratos do bem, que aceleram o metabolismo, e uma grande quantidade de vitaminas e sais minerais, além de potentes antioxidantes. Misture-as nas saladas, no iogurte ou na aveia.

 

Gordura saudável, sim; gordura do mal, nem pensar!

- Saltar o pequeno-almoço retarda o metabolismo

 

- Carboidratos bons mantêm o metabolismo acelerado

 

- Bom carboidrato vai bem com proteína magra em todas as refeições

 

- Comer com frequência queima gordura

 

- Exercício activa a queima de gordura

 

- Pouca água engorda

 

- Dormir bem acelera o metabolismo

 

- Músculos são essenciais para um metabolismo veloz

 

- Mexa-se e ganhe músculos

 

Saltar à corda, cuidar do jardim, subir escadas, lavar o carro, dançar, levar o cão a passear, caminhar…  A actividade física é essencial na aceleração do metabolismo. Com o passar dos anos, os músculos tendem a encolher e a gordura passa a ocupar o lugar deles. Por isso a musculação é tão importante. A prática de exercícios é responsável por 50% do sucesso no plano de activar o metabolismo.

 

  • Segredos do Oriente

 

Nabo, rúcula, cebola, gengibre e chá verde. Essas são as principais opções da medicina chinesa para acelerar o metabolismo. Para melhores resultados, recomenda-se a associação de alimentos de sabor picante com amargo. “Essa combinação tonifica o baço, responsável pelo metabolismo energético e um dos órgãos mais importantes segundo a medicina tradicional chinesa.”

 

Para os lanches da manhã e da tarde, recomenda-se um copo de sumo com pedaços da própria fruta, de preferência ácidas, como laranja, limão, tangerina e abacaxi.

Ingira alimentos energéticos. Para dinamizar o metabolismo, a lista de compras deve incluir os seguintes alimentos: couve-de-bruxelas, espinafres, brócolos, espargos, alface romana, lentilhas, feijão, nozes, amendoins, amêndoas, cajus, sementes de girassol e abóbora, iogurtes magros, ovos, frutos cítricos, maçãs, cereais integrais, salmão, carne magra e de aves, chá verde e chocolate preto. Planeie todas as refeições para incluir estes e outros alimentos saudáveis, evitando cair em tentação e/ou saltar refeições.

 

Os alimentos picantes ou especialmente condimentados fazem maravilhas ao ritmo metabólico, aumentando-o em cerca de 50% durante pelo menos até três horas depois da refeição. Por isso use gengibre e pimenta de Caiena, por exemplo.

 

www.emagrecer-comsaude.com

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Descubra os alimentos que causam inflamação no seu organismo

publicado por emagrecercomsaude, em 15.06.14

 

 

 

Há alimentos que causam inflamação no organismo provocando gases, dificuldade em perder peso e mesmo ganho de peso, enxaqueca, desconforto e inchaço abdominal, e num cenário mais grave têm sido associados a problemas de coração, obesidade, diabetes, dores crónicas, alergias, artrite, alzheimer e até cancro.

Dos alimentos inflamatórios mais conhecidos são os fritos, fast-food, alimentos com muito açúcar e aditivos químicos (corantes, conservantes, aromatizantes,  estabilizantes…), como os produtos industrializados, bolos e bolachas com gorduras hidrogenadas, óleos, cereais refinados, refrigerantes, carne vermelha, bacon, enchidos, manteigas, derivados do leite e do trigo, álcool, entre outros.

 

Estes são alguns dos mais evidentes, mas poderão haver alimentos saudáveis que causem inflamação em algumas pessoas e noutras não. Em cada pessoa, de forma singular, o alimento pode exercer um papel curador ou causador de doença. Por isso, seria importante descobrir quais os alimentos que causam inflamação no seu organismo em particular.

 

De forma geral, numa inflamação, dá-se um processo de autodefesa do organismo em que este atua contra uma infecção enviando anticorpos, desencadeando-se varias mudanças metabólicas, celulares e hormonais. Estes alimentos inflamatórios são vistos como organismos estranhos que o corpo não consegue reconhecer, pelo que desencadeia este sistema de autodefesa como se houvesse uma infecção, embora na realidade não haja realmente uma infecção. A situação agrava-se quando as inflamações passam a ocorrer de modo contínuo e desenfreado, gerando alterações e danos no equilíbrio celular. Uma ingestão contínua de alimentos inflamatórios acaba com as defesas do organismo e favorece o aparecimento de diversas doenças como as que já foram referidas anteriormente.

Felizmente, também há os alimentos anti-inflamatórios, que também têm efeito positivo no combate à celulite, acúmulo de gordura, prevenção de algumas doenças e até mesmo nos sinais de envelhecimento, como rugas e aumentando a nossa imunidade.

Alguns alimentos anti-inflamatórios:

Salmão selvagem

Atum

Bacalhau

Sardinhas

Azeite virgem extra

Curcuma (açafrão das indias)

Cebola crua

Alho cru

Frutos vermelhos e roxos, como framboesa, morangos, cerejas, mirtilo e amoras

Brócolos

Iogurtes naturais com Lactobaclillus Acidophilus (probioticos)

Kefir

Requeijão

Amêndoas

Sementes de linhaça

Pimento vermelho

Nabo

Cenoura

Couve

Abobora

Espinafre

Rabanete

Acerola

Goiaba

Uva preta

Abacate

Limão

Gengibre

 

Como regra geral, quanto mais um indivíduo mantém uma dieta rica em gorduras saturadas, produtos industrializados, rica em açúcares refinados, pobre em frutas, legumes e integrais, maior será a estimulação do processo inflamatório.

 

Para saber quais os alimentos que embora saudáveis lhe possam estar a causar inflamação, terá de começar uma dieta só com alimentos anti-inflamatórios e com pouco risco de serem reactivos e ir acrescentando aos poucos outros alimentos tendo em atenção as reacções que eles possam provocar no organismo, mas tudo isto tem regras e tem de ser feito com um plano devidamente estruturado.

 

 “O que é alimento para uns é veneno para outros” – Tito Lucrécio Caro [filosofo latino séc. I a.C.]

 

 

Alho: poderoso anti-inflamatório

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 dicas essenciais para aumentar o metabolismo

publicado por emagrecercomsaude, em 08.05.14

 

 

 

 

 

 

1- Beba bastante água todos os dias (pode acrescentar sumo de limão e canela). A canela também aumenta o metabolismo;

 

2- Beba chá verde, está comprovado que aumenta o metabolismo, quatro chávenas por dia e sem açucar, mas não beba a seguir às refeições pois o chá verde pode impedir a absorção do ferro;

 

3- Não faça mais dietas restritivas que só provocam o efeito iô-iô, só estará a tornar o seu metabolismo mais lento;

 

4- Use vinagre de maçã (sidra) para temperar as suas saladas;

 

5- Os alimentos picantes principalmente a pimenta de cayenna e o gengibre, são excelentes para aumentar o metabolismo;

 

 

 

 

 

 

6- As gorduras boas: azeite, abacate, frutos secos, peixes como o salmão, sardinha e atum (omega 3) ajudam o metabolismo;

 

7- O exercício físico (principalmente quando cria massa muscular - musculação) é a melhor e mais eficaz forma de aumentar o metabolismo, e aliado com exercicios aerobicos ainda melhor, por isso caminhe, pedale, dance mas não deixe de se exercitar;

 

8 - Não fique muito tempo sem comer, por isso nunca salte refeições, o ideal é comer algo de 3 em 3 horas, máximo 4,  em quantidades moderadas e nunca saia de casa sem tomar um bom pequeno almoço;

 

9 - Insira sempre que possivel estes alimentos energéticos nas suas refeições: couve-de-bruxelas, espinafres, brócolos, espargos, alface romana, lentilhas, feijão, nozes, amendoins, amêndoas, cajus, sementes de girassol e abóbora, iogurtes magros, ovos, frutos cítricos, maçãs, cereais integrais, salmão, carne magra e de aves, chá verde, café e chocolate negro;

 

10- Durma bem, pois noites mal dormidas, assim como o stress, retardam o metabolismo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Os beneficios do salmão

publicado por emagrecercomsaude, em 08.04.14

 

 

O salmão é um peixe muito nutritivo e com imensos benefícios para a saúde. Dos nutrientes mais importantes presentes no salmão são os ácidos gordos ómega-3 ajudando por isso a diminuir o colesterol mau e os níveis de triglicéridos, a prevenir o envelhecimento precoce pois é um poderoso antioxidante, a equilibrar o sistema nervoso melhorando o humor, a reforçar o sistema imunitário, a prevenir doenças cardiovasculares e inflamatórias, favorece ainda a boa memória desenvolvendo o cérebro, ajuda a prevenir a insuficiência renal, a endometriose nas mulheres e ainda combate a flacidez porque estimula a produção de colagénio.
O salmão é um alimento muito saudavel que deve fazer parte da sua alimentação, quer queira emagrecer ou não, até porque é muito versátil podendo ser cozinhado de diversas maneiras: ele pode ser consumido grelhado, assado, no forno, salteado com legumes na wok, ou então em sushi. Outra vantagem é que as proteínas encontradas no salmão são de fácil digestão. São proteínas de alto valor nutritivo, superior às de algumas carnes vermelhas. Este peixe é ainda rico em vitamina A, vitamina D, vitaminas do complexo B (B3 - Niacina, B6 - Piridoxina, B12 - Cobalamina), triptofanos, selénio, fósforo, magnésio e potássio.

 

Curiosidade: O salmão é basicamente um peixe branco. A cor rosada ou alaranjada do salmão deve-se a um pigmento chamado astaxantina que o salmão absorve após se alimentar de camarões. Mas a sua alimentação é variada (outros crustáceos, pequenos peixes e zooplânctons) e por isso a sua cor também varia, podendo ser de um rosa mais claro a um vermelho vivo.

 

Contrapartida: Infelizmente todos estes benefícios só podemos garantir no salmão selvagem, pois apesar de haver controlo nunca sabemos ao certo como é realmente alimentado o salmão de aquacultura (cativeiro). Aqui ele não é alimentado com camarões e por isso a sua cor poderá ser devido a corantes sintéticos. Há quem defenda que terá menor quantidade de ácidos gordos ómega 3 e mais quantidade de gorduras saturadas prejudiciais à nossa saúde. Por isso, na dúvida, sempre que podermos, e apesar de ser muito mais escasso nos mercados, devemos sempre optar por salmão selvagem, capturado no mar.

 

Outros peixes ricos em ómega 3: atum, cavalas, sardinhas, anchovas, bacalhau, arenque, lagosta, camarões, entre outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Porquê comer algas, um tesouro do mar?

publicado por emagrecercomsaude, em 04.04.14

As algas, um vegetal marinho, utilizadas há milénios pelos povos orientais são um alimento extremamente nutritivo, medicinal e até com utilidade cosmética.

São muito saudáveis  ajudando mesmo no tratamento de algumas doenças tais como: hipotiroidismo, reumatismo, hipertensão, obstipação, bronquite, asma, ulceras, tumores, efisema, entre outros. As algas ajudam a purificar o sangue , inibem a formação de tumores (acção anticancerígena), agem como antibiótico protegendo contra doenças infecciosas (acção anti-inflamatoria), reduzem o colesterol, têm um efeito tranquilizante actuando no sistema nervoso, e eliminam o efeito nocivo de algumas substancias toxicas que por vezes são ingeridas numa alimentação pouco saudável (anto-oxidante). Se usadas frequentemente exercem inúmeros benefícios no nosso organismo e órgãos vitais, conferindo-lhes saúde.

 

No que toca à beleza das mulheres as algas ajudam a combater a celulite, varizes, flacidez e rugas. Podem ser usadas em forma de cosméticos, como cremes, ou mesmo sob a forma de suplementação, mas é sempre recomendado ingeri-las na alimentação diária.

Ainda no que diz respeito às mulheres, as algas regulam uma menstruação irregular, fortalecem o cabelo e unhas e fazem a pele bonita.

As algas são ricas em minerais tais como: cálcio (tem mais cálcio do que os produtos lácteos), fosforo, iodo, magnésio, sódio, potássio, zinco, ferro, selénio, manganês, entre outros.  São também ricas em fibras, proteínas e vitaminas das quais a vitamina A, K e do complexo B como tal são um alimento muito rico que deve mesmo fazer parte da nossa alimentação.

As algas são óptimas aliadas num regime de emagrecimento, pois são diuréticas, depurativas, e dissolvem as gorduras, regulando ainda o metabolismo. São indicadas especialmente para quem tem aumento de peso devido a hipotiroidismo.

 

Vários tipos de algas que pode encontrar no mercado:

 

Ágar-ágar – de cor pérola, é vendida em pó ou flocos e serve para o preparo de doces como gelatinas, mas também salgados. Sacia e desintoxica o organismo, ajuda a perder peso, boa para a obstipação. Deve ser demolhada uns minutos e cozinhar até que a alga se dissolva, depois deve deixar solidificar até se obter uma excelente gelatina.

 

        

 

Aramé – alga escura e fina, de sabor suave, boa para juntar aos vegetais e saladas. Benéfica em especial para os órgãos reprodutores femininos mas também para os masculinos. Ajuda na digestão. Rica em cálcio, ferro, iodo e outros minerais.

 

 

 

 

Dulse- alga vermelha (púrpura), macia, com sabor característico, usada em sopas e condimentos. Rica em minerais como o ferro, potássio, magnésio, iodo e fósforo e em vitaminas A,B,C e proteínas de elevado valor nutritivo. Benéfica em casos de anemia e debilidade física. Fortalece a visão, e é aconselhada para tratamento de problemas gástricos e intestinais. Regenera as mucosas e actua como anti-séptico e antiparasitário.

 

 

 

 Kombu- de cor escura é mais larga e mais espessa que as outras algas. Poderá ser a alga mais consumida em todo o mundo. É usada para cozinhar juntamente com os feijões e leguminosas em geral, pois torna-os mais macios e digeríveis. Também pode ser cozinhada com vegetais, realçando o seu sabor e ajudando na digestão das fibras. É também excelente para fazer caldos de legumes e sopas, entre outros. Deve demolhar-se e demora cerca de 30 minutos a cozinhar, sendo a alga mais rija. Muito rica em proteínas, cálcio, vitaminas A,C,E,B1,B2,B3,B12 e K.Evita a formação de gases intestinais, fortalece e limpa os intestinos, aumenta a vitalidade sexual e estimula o sistema linfático. É importante no tratamento de doenças como a gota, a artrite, o reumático, a anemia, o hipotiroidismo, a digestão difícil, as colites e as dificuldades circulatórias e respiratórias, previne o colesterol, regula a tensão arterial e tem efeitos benéficos nas perturbações cardiovasculares.

 

 

 

 

Nori- de cor entre o verde vivo e o roxo e de folhas finas. As suas tiras secas são utilizadas como invólucro do famoso prato japonês, o sushi. Prepara-se tostando-a rapidamente na chama do fogão. Pode comer-se directamente ou parti-la em pedaços e polvilhar sobre a sopa, vegetais, feijões ou qualquer outra comida. É particularmente rica em ferro, potássio, iodo e proteínas. Contem também vitamina A, cálcio, ferro, vitaminas B1, B2,B12 e C. Elimina toxinas, favorece a digestão, activa a circulação sanguínea, cuida da visão, especialmente da visão nocturna, protege e nutre a pele e as mucosas.

 

 

 

 

Esparguete do mar- De cor acastanhada, é muito rica em ferro, vitamina C e fósforo. Ajuda a preservar a memória, a concentração e agilidade mental. É benéfica para o sistema linfático, venoso e nervoso. Usada em empadas, pizzas, massas, pães, etc.

 

 

 

 

 

Hiziki- alga escura e comprida com textura semelhante à aramé, mas mais espessa e com um sabor a mar muito mais forte. Tem uma quantidade enorme de cálcio e também de potássio e ferro. Deve colocar-se de molho cerca de 10 minutos antes de usar, pois aumenta cinco vezes de volume quando demolhada. O seu consumo proporciona brilho e elasticidade aos cabelos e às unhas.

 

 

 

 Wakamé- de folhas verdes escuras e encaracoladas tem um sabor suave e adocicado. É principalmente usada na confecção de sopas (sopa de misso) ou em conjunto com os vegetais em salteados, saladas, massas, recheios etc. Rica em iodo, proteínas, fosforo, cálcio, ferro e magnésio. Tem 11 vezes mais cálcio que o leite. Deve demolhar-se durante cerca de 20 minutos. Pode ser fervida em lume brando durante 10 a 15 minutos, ou cortada em bocadinhos para ser servida como salada. Melhora o sistema circulatório. Neutraliza as toxinas do sangue e estimula as secreções enzimáticas. Auxilia em problemas pulmonares como por exemplo a asma ou a bronquite.

 

 

Spirulina- é uma microalga azul-esverdeada, que apresenta cerca de 70% de proteínas contendo 8 aminoácidos essenciais. É 58 vezes mais rica em ferro que o espinafre, e oferece ainda vitaminas do complexo B. É por isso um bom complemento alimentar para vegetarianos e desportistas. A sua riqueza em clorofila faz com que seja usada em preparados para eliminar o mau hálito. Ajuda a combater o cansaço tanto físico como intelectual e reforça o sistema imunitário. Pode ser usada sob a forma de suplemento alimentar como se vê na imagem.

 

 

 CLORELA - é uma microalga verde, de água doce, cujo nome se deve à riqueza em clorofila. Rica em nutrientes apresenta propriedades desintoxicantes e estimulantes do sistema imunitário, sobretudo ao nível da actividade anti-viral. A clorela contribui ainda para controlar o colesterol, para além de ser também uma boa fonte de proteínas. É útil no crescimento das crianças, sobretudo quando há necessidade de enriquecimento nutricional e na nutrição de grávidas e durante a amamentação. Pode ser usada sob a forma de suplemento alimentar como se vê na imagem.

 

 

 

Nota: Maioria das algas vendem-se secas, tendo um tempo de conservação razoável, e algumas devem-se demolhar uns minutos antes de cozinhar. Convém comprar as algas em lojas de produtos naturais e ervanárias, e de marcas mais ou menos conhecidas de forma a garantir a boa qualidade das mesmas.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Quinoa, um alimento poderoso!

publicado por emagrecercomsaude, em 31.03.14

 

 

 

 

 

Originário da África do sul, é considerado por muitos, um alimento poderoso e nutritivo, ele é rico em proteínas, fibras, ferro, fósforo, cobre, manganês, magnésio, vitaminas do complexo B, vitamina E, calcio e omegas 3 e 6 e zinco.

 

A proteína que ele contém é uma proteína completa e identica à da carne contendo os nove aminoacidos, sendo por isso um alimento bom para desportistas que querem recuperar e manter uma boa musculatura. Considerado como o "ouro dos incas" já era usado para aumentar a resistencia dos guerreiros.

 

Para além da proteína, é rica em ferro, sendo o alimento ideal para vegans e pessoas que consomem pouca ou nenhuma carne, evitando assim ter anemia.

 

Por ser tão nutritivo, é um alimento que consumido regularmente ajuda em diversos problemas de saúde, como a enxaqueca, problemas cardiovasculares, diabetes, colesterol, osteoporose, hipertensão, nervosismo, obstipação, entre outros. A quinoa reforça o sistema imunitário, e pode ser consumida por intolerantes ao gluten.

 

A quinoa acelera o metabolismo e ajuda a queimar gordurinhas, sendo por isso um bom aliado para quem quer emagrecer. Pode substituir o arroz e as massas por quinoa obtendo assim uma refeição mais nutritiva e uma alimentação mais equilibrada.

 

 

Receita de Quinoa

 

Coza 2 chávenas de chá de quinoa em água e sal. Depois de cozida, escorra muito bem para que fique soltinha e seca. Reserve.

Numa Wok ou frigideira anti aderente, corte cebola em meia lua, alho às rodelas, pimento aos bocadinhos pequeninos ou em tiras, e regue com azeite virgem extra. Quando estiver alourado, junte cogumelos frescos, courgette e/ou beringela aos pedacinhos, e miolo de camarão qb.

Tempere com pimenta preta e açafrão. Quando estiver bem salteado e cozinhado junte a quinoa ao preparado e misturar bem. Junte ainda cenoura ralada, sementes de sésamo e pedacinhos de amêndoa. Misture bem e sirva de imediato.

 

Sugestão: Em vez do camarão pode juntar frango caseiro desfiado, atum, bacalhau desfiado etc…

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


O ser humano é um animal de hábitos

publicado por emagrecercomsaude, em 28.03.14

 

 

 

"Como poderei eu deixar de comer batatas fritas?" Perguntam algumas clientes um tanto preocupadas. Quem diz batatas fritas diz qualquer coisa que faça mal em excesso e que por isso engorde, como os bolos, chocolates, bolachas, hamburgures, pizzas...a resposta é: Não precisa deixar de comer! A questão é: Saber como comer e sobretudo quando comer! Para além disso, quer acredite ou não, ao fazer uma reeducação alimentar, habituar-se-á muito rapidamente a novos sabores e o seu palato mudará, ou seja, muitas das coisas que antes julgava não conseguir passar sem, vão deixar de lhe apetecer. Isto é comprovado por muitas das minhas clientes. E vice-versa, alimentos que nunca lhe despertaram atenção ou porque não gosta ou não conhece, podem tornar-se super agradáveis ao seu paladar. Os nossos hábitos realmente mudam, e os nosso palato também!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Arroz integral, um alimento rei!

publicado por emagrecercomsaude, em 26.03.14

 

 

 

 

O arroz integral tem o dobro, ou mais, da fibra que o arroz branco, e por isso permite uma óptima regulação intestinal, ajudando a emagrecer e acabar com inchaço abdominal.

Estudos comprovam que o arroz integral previne e controla a diabetes, previne certos cancros, doenças do coração, reduz o colesterol mau e inflamações, e ainda previne e reduz a gordura abdominal assim como o peso em geral. Sendo assim, a longo prazo a ingestão de arroz integral diminui  o risco de várias doenças. É bom para desportistas, aumenta a boa disposição, controlando a ansiedade, reforça o sistema imunitário e é saciante.

Ele é extramente rico nutricionalmente: para além da fibra, tem ácido fólico, potássio, vitaminas do complexo B, vitamina A e E, aminoácidos essenciais, cálcio, proteína, magnésio e fósforo, sendo por isso um alimento rei que deve ser ingerido todos os dias, pois oferece ao organismo vários nutrientes importantes implementando uma boa saúde.

Existem várias dietas de emagrecimento com arroz integral, por isso para quem deseja emagrecer pode começar a substituir o arroz branco pelo integral, principalmente no jantar em que os hidratos de carbono devem ser evitados principalmente os refinados.

Nota: se não quiser comer carne ou peixe, obtém uma proteína completa comendo arroz integral juntamente com alguma leguminosa, como o feijão ou lentilhas.

 

Dicas para cozinhar o arroz integral: Deve cozinhá-lo com o dobro da água, relativamente à quantidade de arroz, e cozinhar em lume brando. Pode experimentar várias marcas, pois pode achar uns mais saborosos que outros. Junte um fio de azeite virgem extra, apenas duas pedras de sal grosso (o arroz integral não necessita de sal tal como o branco, e fica saboroso na mesma), alguma erva aromática e um dente de alho. A ideia é ele ficar soltinho e enxuto para poder ser usado nas mais variadas receitas.

Dependendo do acompanhamento que vai usar com o arroz, pode juntar também cenoura, ervilhas, tomate…

Depois do arroz cozido e soltinho pode usá-lo para salteados, saladas frias e até para malandrinho.

 

Receita de arroz integral salteado com legumes:

Numa wok coloque alguns legumes aos cubos ou pedacinhos tais como: cenoura, cogumelos, courgete, beringela, couve de bruxelas, tomate pouco maduro entre outros (escolha os seus preferidos), tempere-os com um pouco de azeite virgem extra, pimenta preta, açafrão e deixe cozinhar um pouco salteando. Depois junte o arroz integral já previamente cozinhado e misture tudo. Sirva com peixe ou carne.

 

Salada fria com arroz integral:

Numa taça grande coloque o arroz integral previamente cozido, junte milho sem açúcar e livre de OGM (organismos geneticamente modificados), cenoura ralada, salsa picada (ou coentros), cebola picada se gostar, pedacinhos de beterraba (ou ralada), rúcula ou espinafres bebé, pode também juntar algum feijão frade e ovo cozido. Junte atum , um fio de azeite virgem extra e um fio de vinagre de sidra biológico.

Terá uma rica e gostosa salada.

 

Arroz de peixe com arroz integral:

Faça um refogado com cebola, alho, azeite e uma folha de louro. Junte um pouco de água e o peixe que escolher já cozido e sem espinhas. Junte os temperos a seu gosto e deixe apurar 3 minutos. Junte depois o arroz também já cozido e um pouco mais de água. Use a água da cozedura do peixe. Pode fazer da mesma forma para fazer o arroz de feijão.

 

Bom apetite!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Reeducação Alimentar...

publicado por emagrecercomsaude, em 20.03.14

 

 

 

 

 

 

A reeducação alimentar garante a manutenção do peso!

 A reeducação alimentar tornar-se-á de uma forma gradual e muito natural parte do seu dia-a-dia.

O organismo responde sempre muito bem a uma alimentação equilibrada.

Não é necessário deixar de comer tudo o que gosta, e muito menos passar fome!

Ao fazer uma reeducação alimentar está a respeitar a sua individualidade, de forma que a mudança seja mais facilitada e o sucesso alcançado.

A reeducação alimentar é um processo de consciencialização, pois não basta fazer, mas sim saber e aprender o porquê da mudança.

Não é preciso ter pressa, os resultados vão aparecendo! A perda de quilos é uma consequência natural e inevitável.

Reeducação alimentar é mais que ter uma alimentação equilibrada, passa também por adquirir novos hábitos saudáveis!

Reeducação alimentar não exclui nenhum nutriente, nem os hidratos de carbono!

Reeducação alimentar é a atitude certa!

Reeducação alimentar é saúde e vitalidade!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados